«

»

ago 02 2013

Imprimir Post

Serviço gratuito de atendimento psicológico aos brasileiros no Japão – Consulado &SABJA

SABJA.jpg3Viver no exterior muitas vezes significa que nem sempre os amigos e familiares estão por perto ou disponíveis para um diálogo, devido a distância, aos horários diversificados de trabalho. Um problema do cotidiano, uma experiência triste ou amarga, perda de entes queridos, uma doença grave inesperada, solidão, desentendimento com os pais, filhos ou colegas de trabalho, ijime, indecisões, incertezas… Enfim, tudo que o ser humano um dia passa…

A diferença é que estar longe de seu país, significa estar longe de pessoas e instituições que possam apoiá-lo, ouvi-lo, aconselhá-lo, enfim, carrega sozinho seus problemas sem solução. Isto causa grande pressão no seu cotidiano, interferindo no relacionamento pessoal e social como também no desempenho da escola ou trabalho.

Médicos no Japão, seguem a linha de atendimento psiquiátrico, onde os sintomas são cuidados através de medicação. Pode dar resultado por algum tempo, dependendo da pessoa. Mas tem a barreira do idioma. Sintomas são fáceis de serem traduzidos, sentimentos são bem mais complicados…

O Aconselhamento Psicológico não é dar conselhos,  tem o obje­tivo de ori­en­tar sobre os pro­ble­mas de ordem psico­lógica; e em casos mais gra­ves, infor­mar e enca­mi­nhar aos pro­fis­si­o­nais ade­qua­dos. Tem como foco facilitar o processo de escolhas nas decisões que deve tomar quanto à profissão, família, relacionamento e etc. Não existe um caso específico, algumas pessoas buscam o Aconselhamento para simplesmente poderem conversar, outras para saberem algumas informações e algumas ainda possuem quadros graves e poderão ser encaminhadas a profissionais adequados.

 

 

CONSULADO OFERECERÁ ATENDIMENTO PSICOLÓGICO PERMANENTE

consulado-sabja

 A partir de agosto, o Consulado-Geral do Brasil em Tóquio será um dos primeiros consulados brasileiros no mundo a contar com atendimento psicológico permanente. A iniciativa se deve à carência deste tipo de serviço aos brasileiros que residem na jurisdição. 

O Consulado, em parceria com a NPO Sabja, já vinha realizando atendimentos semanais na sua sede em Gotanda, e também nos Consulados Itinerantes. 

Para que os atendimentos gerem resultados satisfatórios é necessário que a assistência e as orientações psicológicas ocorram de forma contínua. Nesse sentido, foi assinado no dia 24 de julho na sede deste Consulado, contrato de prestação de serviços entre este último e a NPO Sabja.

 O acordo prevê ainda, se necessário, visitas a reformatórios e prisões, centros de imigração e hospitais, com a finalidade melhorar as condições de vida dos brasileiros no país.

 Os novos dias de atendimento ainda estão sendo definidos. Até agosto, a psicóloga Flavia Dalmazo, continua recebendo os interessados todas as quartas-feiras no terceiro andar do Consulado

★ Outras informações podem ser conseguidas  pelo telefone 03-5488-5572.

★ Quem preferir o atendimento com hora marcada, pode escrever para o e-mail  

 psicologa@consbrasil.org , apontando nome, dia (sempre uma quarta-feira) e hora                             

   (entre 9h e 12h20) que gostaria de ser atendido. Cada consulta dura cerca de 40 minutos.

★ Os interessados que não puderem se deslocar até Tóquio poderão ser atendidos nos Consulados

    Itinerantes (veja o calendário aqui).

★A fim de garantir melhor qualidade nos atendimentos, a psicóloga Flávia Simões não realizará

   atendimentos por Skype. Outras informações no site www.nposabja.org .

Desde novembro de 2012, o Serviço de Atendimento aos Brasileiros no Japão (Sabja) e o Consulado-Geral do Brasil em Tóquio, estão oferecendo à comunidade atendimentos psicológicos com profissional da área. 

 

Psicóloga Flávia Simões Dalmazo

Graduada pela Universidade Federal de Santa Catarina, a psicóloga Flávia Simões Dalmazo, voluntária do Sabja, está todas as quartas-feiras, no terceiro andar do Consulado do Brasil, das 9h às 13h, atendendo brasileiros de todas as 17 províncias da jurisdição.

(publicado na homepage do Consulado de Tokyo)

Sabja Serviço de Assistência aos Brasileiros no Japão

O  tra­ba­lho de assis­tên­cia come­çou com ati­vi­da­des iso­la­das de volun­tá­rios para aten­der aos pro­ble­mas enfren­ta­dos pelos bra­si­lei­ros e estran­gei­ros em geral, quanto a ques­tões legais e de adap­ta­ção à vida no Japão.

Irma-Yoshico-Mori-da-NPO-Sabja_fotogaleria_hEm abril de 1998, Yoshico Mori uniu pro­fis­si­o­nais que já atu­a­vam em ser­vi­ços volun­tá­rios e outros inte­res­sa­dos, fun­dando o SABJA. Em junho do mesmo ano, o Con­su­lado do Brasil em Tóquio deci­diu esta­be­le­cer o ser­viço de Con­su­lado Iti­ne­rante para visi­tar regiões com grande con­cen­tra­ção de bra­si­lei­ros. O SABJA come­çou a acom­pa­nhar as cara­va­nas para aten­der outras neces­si­da­des da comu­ni­dade, como o escla­re­ci­mento de dúvi­das médi­cas e do cotidiano.

Cinco anos depois, em 20 de agosto de 2003, a enti­dade foi reco­nhe­cida pelo governo de Tóquio como uma orga­ni­za­ção sem fins lucra­ti­vos (Non Pro­fit Orga­ni­za­tion – NPO).

Hoje, a NPO SABJA é com­posta por pro­fis­si­o­nais volun­tá­rios de dife­ren­tes áreas que atuam em ori­en­ta­ções nas áreas de saúde física e men­tal, edu­ca­ção social e ambi­en­tal, leis tra­ba­lhis­tas, aci­den­tes de tra­ba­lho ou trân­sito, segu­ros e impostos.

SABJA

http://www.nposabja.org/

Projeto Comunidade da SABJA

Assis­tên­cia à saúde men­tal e física do bra­si­leiro atra­vés do acon­se­lha­mento por tele­fone e assis­tên­cia e ori­en­ta­ção psi­co­ló­gica, médica e psi­co­pe­da­gó­gica às ins­ti­tui­ções e às famí­lias bra­si­lei­ras in loco.

Este pro­jeto res­pon­de às neces­si­da­des espe­cí­fi­cas da comu­ni­dade bra­si­leira no Japão, no que diz res­peito ao aten­di­mento médico e para­mé­dico, além de ofe­re­cer ori­en­ta­ção psi­co­ló­gica e peda­gó­gica às ins­ti­tui­ções e famí­lias com cri­an­ças em fase esco­lar, sejam elas matri­cu­la­das nas esco­las japo­ne­sas ou brasileiras.

O pro­jeto está divi­dido em duas fren­tes de trabalho:

Assis­tên­cia à saúde men­tal e física do bra­si­leiro atra­vés do acon­se­lha­mento por telefone.

Tem como obje­ti­vos principais:

    • Infor­mar e ori­en­tar os bra­si­lei­ros resi­den­tes no Japão sobre os pro­ce­di­men­tos nos hos­pi­tais japoneses;
    • Tirar dúvi­das sobre tra­ta­men­tos, medi­ca­men­tos e seus efei­tos cola­te­rais, pro­cu­rando fami­li­a­ri­zar os bra­si­lei­ros com o aten­di­mento nos hos­pi­tais japoneses;
    • Ori­en­tar sobre as medi­das pre­ven­ti­vas de saúde e sobre hábi­tos ali­men­ta­res e de higiene;
    • Ori­en­tar sobre os pro­ble­mas de ordem psicológica;
    • Em casos de doença física e men­tal mais grave, infor­mar e enca­mi­nhar aos pro­fis­si­o­nais adequados.
    • As equi­pes são com­pos­tas por médi­cos, enfer­mei­ros, fono­au­dió­lo­gos, den­tis­tas, psi­có­lo­gos e coun­se­lors. Os aten­di­men­tos são fei­tos por tele­fone com hora marcada.

 

Assis­tên­cia e ori­en­ta­ção psi­co­ló­gica, médica e psi­co­pe­da­gó­gica in loco, às instituições e às famí­lias brasileiras. Esta frente de tra­ba­lho atua da seguinte forma:

● Acon­se­lha­mento psi­co­ló­gico vol­tado aos adul­tos – tem o obje­tivo de ori­en­tar sobre os pro­ble­mas de ordem psi­co­ló­gica; e em casos mais gra­ves, infor­mar e enca­mi­nhar aos pro­fis­si­o­nais ade­qua­dos. Esses acon­se­lha­men­tos são fei­tos nas cara­va­nas rea­li­za­das pela NPO SABJA.

● Acon­se­lha­mento médico vol­tado aos adul­tos – tem como obje­tivo prin­ci­pal infor­mar e ori­en­tar os bra­si­lei­ros resi­den­tes no Japão sobre os procedimentos nos hos­pi­tais japo­ne­ses; tirar dúvi­das sobre tra­ta­men­tos, medi­ca­men­tos e seus efei­tos cola­te­rais, pro­cu­rando fami­li­a­ri­zar os bra­si­lei­ros com o aten­di­mento nos hos­pi­tais japo­ne­ses; ori­en­tar sobre as medi­das preventivas de saúde e sobre hábi­tos ali­men­ta­res e de higi­ene; e em casos mais gra­ves, infor­mar e enca­mi­nhar aos pro­fis­si­o­nais ade­qua­dos. Esses acon­se­lha­men­tos são fei­tos nas cara­va­nas rea­li­za­das pela NPO SABJA. Depen­dendo do con­texto vigente, as cara­va­nas podem ofe­re­cer outros tipos de assis­tên­cia, como con­sul­tas com advo­ga­dos e espe­ci­a­lis­tas em leis trabalhistas.

● Ori­en­ta­ções vol­ta­das aos pro­fes­so­res das esco­las bra­si­lei­ras – com o propósito de incen­ti­var a inter­dis­ci­pli­na­ri­dade e intro­du­zir con­cei­tos importantes de psi­co­lo­gia esco­lar na for­ma­ção do pro­fes­sor, este ser­viço tem como carac­te­rís­tica o intenso debate sobre assun­tos rela­ci­o­na­dos à prá­tica em sala de aula. A ori­en­ta­ção será rea­li­zada sem­pre que for solicitada.

  Homepage do Consulado de Tokyo

  Homepage da SABJA Assistência aos Brasileiros no Japão

 

Gostou deste artigo? Compartilhe com os amigos!

 

 

 

Link permanente para este artigo: http://blog.suri-emu.co.jp/?p=10798

2 comentários

  1. Magda akemi Nishihata

    Ha 9 anos atraz ,nasceu meu terceiro filho do meu segundo casamento e primeiro filho do meu marido,foi uma ótima gestação e meus filhos esperam outro irmao com alegria,mas no dia do parto,aconteceu algo q ninguém e nem eu poderia imaginar,fui abandonada no quarto de parto com algumas infermeiras q não tocaram em mim e tive meu filho sozinha na presença de amigos e irmã,marido e filhos,me levando ao desespero e todos os q estavam no quarto,foi uma situação muito dolorosa e desconfortável por ter muita gente presente. Penso neste dia todos os dias e ,o, medico não apareceu no dia e nem me atendeu nos outros dias,e como eu estava bem e meu filho tbm então não voltei mais e procurei outro de preferencia minha, e hj tenho certeza q mudei muito depois disto,depois de quase 10 anos eu vejo q este fato afetou muito a minha vida me tornando o fracasso q sinto ser,e isto vem me pesando muito pelo idade q estou,46 anos, e por sentir q não ia nada financeiramente nos últimos anos e por me sentir impotente toda vez q vou procurar emprego,e sempre a mesma coisa,a situação financeira não e boa e vou procurar emprego e a primeira coisa q penso e no meu filho menos pois os outros já estao com mais de 17 anos,da ultima vez fui fazer um arubaito e meu marido precisou entrar no yukin para podermos ter a certeza de q o meu filho não ficaria sozinho nem um minuto,ainda chamo ele de nene e convenci ele q e por amor,pois isto já estava incomodando ele,e hj fui procurar emprego e cai novamente no mesmo dilema,já não sou uma boa funcionaria pois quero voltar para casa e ver se meu filhos estao bem…..enfim. Preciso entender o q acontece comigo pois a situação não permite q eu fique sem trabalhar e com a idade avançando vou ficando desesperada.

  2. elaine seabra

    preciso de uma consulta com uma psicologa para minha neta ,desde que os pais se separaram e tbm ficou sabendo que esta com diabete perdeu todo o enterese por tudo , principalmente ao estudo . aguardo resposta muito obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Translate »