«

»

out 28 2011

Imprimir Post

Saúde: Cuidados com infecções virais no inverno. Saiba mais sobre VSR Virus Sincicial Respiratório.

No Japão foi divulgado que na 1ª semana de outubro foram registrados 1.969 casos de contágios com vírus VSR, principal agente de doenças respiratórias em bebês. Anualmente vem sendo registrados mais de 20 mil casos de internação. O VSR é contagioso e transmitido por secreções respiratórias de infectados, por contato íntimo ou objetos e superfícies, onde o vírus sobrevive até 24 h. O diagnóstico preferencial é feito por detecção de antígenos virais em secreção de nasofaringe e traqueia. Em geral o tratamento é sintomático.

Atualizado em 24/10/2012

fonte http://hibi-zakkan.net/archives/18738071.html

A incidência de casos de contágio pelo Vírus Sincicial Respiratório VSR vem aumentando drasticamente nos útlimos anos. Somente no período de 17/09 a 23/9/2012 foram registrados 3,562 casos. Com o aumento gradativo do frio, há grande tendência de mais casos de contágio daqui para frente. Se compararmos com a média de 5 anos, o aumento tem sido de 4,7 vezes em 2012.

VSR – Vírus Sincicial Respiratório
RSV – Respiratory Syncytial Virus
RS ウイルス Aro Esu Uirusu

É muito comum que, com a entrada do Outono e Inverno  sintomas de febre baixa, tosse seca, peito chiando, dor de garganta,  respiração acelerada e coriza anunciam que um resfriado está chegando, não é? Nem sempre.

Facilmente confundido, o VSR – vírus sincicial respiratório – atinge crianças e adultos e é responsável por 80% dos casos de bronquiolite em menores de 2 anos. Para estes, a atenção deve ser redobrada porque, além desses sintomas, a virose provoca também falta de ar e chiado e pode levar à internação. Especialistas alertam os pais a ficar atentos porque a VSR pode causar infecção respiratória aguda (IRA), necessitando de cuidados na unidade de terapia intensiva (UTI).

O que é infecção respiratória?

As Infecções Respiratórias são doenças causadas por bactérias e vírus, que atacam o sistema respiratório. Podem ser agudas ou crônicas. As Infecções Respiratórias Agudas (IRAs) tem início súbito e duram em média 7 dias. A gripe, o resfriado, a pneumonia, a otite média aguda ( dor de ouvido) e a amigdalite (dor de garganta) são exemplos de (IRA) infecções respiratórias agudas. Os sinais mais comuns das infecções respiratórias agudas são: tosse, dificuldade para respirar, chiado no peito, nariz escorrendo (coriza), dor de ouvido e dor de garganta.A tuberculose e a asma são doenças respiratórias crônicas porque são de longa duração.

 

O que é o contágio pelo Vírus Sincicial Respiratório VSR ?

A infecção pelo VSR, tipicamente, causa sintomas leves como os da gripe em adultos e crianças maiores como infecção no nariz, garganta, traquéia, bronquíolos e pulmões.  Já nas crianças com menos de um ano, o VSR pode causar pneumonia ou uma infecção freqüente na infância: a bronquiolite (doença sazonal – é mais freqüente nos meses de outono e inverno.)

O Vírus Sincicial Respiratório  VSR é muito contagioso e se dissemina de pessoa a pessoa, por meio do contato das secreções contaminadas do doente com os olhos, nariz ou boca . O doente, ao levar sua mão à boca, nariz ou olhos, acaba contaminando as suas mãos e, ao tocar em outras pessoas,  a doença se espalha.

O indivíduo sadio também pode se infectar ao respirar num ambiente onde um doente, ao tossir, falar ou espirrar, deixou gotículas contaminadas com o vírus dispersos no ar.

 

O que é bronquiolite ?

A bronquiolite é uma doença que se caracteriza por uma inflamação nos bronquíolos e que, geralmente, é causada por uma infecção viral. O vírus sincicial respiratório (VSR) é o principal microorganismo envolvido nesta doença. Ele pode causar infecções pulmonares também em adultos saudáveis. Estas infecções costumam ser leves, mas, em crianças ou pessoas com fraqueza do sistema de defesa do organismo, podem ser graves. Dentre outros vírus que podem causar bronquiolite estão o parainfluenza, o influenza e o adenovírus.

Com certeza, a bronquiolite após infecções respiratórias é a situação mais freqüente e predomina nas crianças pequenas. Normalmente, afeta crianças de até dois anos de idade, sendo que a maioria dos casos ocorre entre 3 e 6 meses de idade. Bebês prematuros, crianças com asma, displasia broncopulmonar e portadores de cardiopatias congênitas têm problemas bem maiores quando adquirem a VSR. Neles, a doença pode provocar complicações, a exemplo da pneumonia.

Já nos adultos e crianças maiores, a doença é bem mais branda, não passando de um quadro semelhante à gripe.

Transmissão viral

O VSR é transmitido principalmente pelo contato com secreções respiratórias, apresenta alta capacidade de sobrevivência, sendo viável por um período superior a 6 horas em uma grande variedade de locais, apresentando alta virulência e patogenicidade quando localizado em mucosas nasais e orais, qualquer que seja a fonte de infecção. O vírus sobrevive bem nos fômites como roupas e aventais (45 minutos), contagotas, brinquedos, objetos sobre a mesa, estetoscópios e grades de berço (6 horas), luvas cirúrgicas (90 minutos), pijamas e lenços de papel (45 minutos) e pele (20 minutos).

Os sintomas mais comuns da doença

tosse intensa; tosse seca; 【せき seki】
febre baixa; 【熱 netsu】
dificuldade para respirar – incluindo chiado no peito (sibilância) 【喘鳴 zenmei】, movimentos respiratórios rápidos 【速い呼吸 hayai kokyu】 ou, até mesmo, apnéia (parada respiratória prolongada entre os movimentos respiratórios) 【無呼吸症候群 mukoukyu shokougun】;
vômitos (nas crianças pequenas) 【嘔吐 outo】;
irritabilidade; 【興奮性 koufunsei】
diminuição do apetite; 【食欲減退 shoku yoku gentai】
cianose – é a coloração azulada da pele que costuma aparecer em torno da boca e na ponta dos dedos, quando a dificuldade respiratória é grave;【チアノ-ゼ tianose】
dor de ouvido (nas crianças) 【耳が痛い mimiga itai】
olhos avermelhados por uma inflamação conhecida como conjuntivite; 【結膜炎 ketsumakuen】
batimento de asas do nariz – movimento das narinas (abrindo e fechando) que ocorre em situações de dificuldade respiratória na criança pequena.

Os sintomas começam entre o 3º e o 7º dia depois de contrair o vírus. Começa normalmente como um catarro, com febre e obstrução do nariz. Entre o 2º e o 4º dia, o vírus estende-se aos brônquios e bronquíolos, causando irritação e estreitamento destas vias respiratórias, o que faz com que a criança tussa e emita uma espécie de pieira quando respira. Além disso, a criança afetada respira mais depressa (como se tivesse um ataque de asma) e com mais dificuldade.

Geralmente, nesta fase a febre já diminuiu, embora em alguns casos possa persistir. A maioria das crianças nestas condições têm pouco apetite e as mais pequenas podem ter problemas inclusive para mamar ou tomar o biberão, pois cansam-se ao não conseguirem respirar bem. Além disso, habitualmente dormem mal ou têm um sono muito leve e despertam várias vezes. Normalmente, a pieira melhora num período que vai dos 3 aos 7 dias, mas a obstrução do nariz pode durar mais e a tosse pode persistir até 1 ou 2 semanas.

QUANDO IR AO MÉDICO
Requer atenção pediátrica imediata se:
• Respirar cada vez pior.
• Se observar um afundamento dos espaços situados entre as costelas quando respira.
• Tiver os lábios roxos ou azulados.
• Não conseguir mantê-la desperta.

Tratamento

A maioria dos lactantes pequenos com bronquiolite não necessitam de um medicamento específico, mas sim de paciência e de cuidados que lhes permitam respirar e beber de uma forma mais cómoda e fácil. Em climas muito secos, é recomendável pôr um vaporizador ou um humidificador no quarto onde a criança dorme para a ajudar a manter as fossas nasais desobstruídas.

Como a tosse ajuda a desobstruir as vias aéreas, não se encontra indicado o uso de medicamentos que suprimam a tosse (antitússicos); pelo contrário, podem ser prejudiciais.  Também deve evitar-se o uso excessivo de descongestionantes nasais, visto estes medicamentos poderem tornar as secreções mais espessas e ter efeitos colaterais prejudiciais nas crianças pequenas. Toda medicação deve ser sob orientação médica.

Prevenção – Algumas medidas podem evitar o contágio pelo vírus

A amamentação é fundamental para fortalecer o sistema imunológico da criança;
Evite aglomerações de pessoas e ambientes fechados;
Evitar o contato com crianças e adultos com sintomas de resfriado ou gripe;
Evitar ficar perto de fumantes. O tabagismo passivo irrita as vias aéreas e favorece a infecção
Evitar fatores que possam desencadear alergias (poeira, ursos de pelúcia e tapetes)
Lavar as sempre mãos com água e sabão,fazer gargarejos e usar máscaras

 

Alimentar-se bem e ingerir bastante líquido e vitamina C.

As crianças que freqüentam creches enfrentam um risco maior devido ao contato com outras crianças infectadas.

Desinfetar objetos e brinquedos que a criança pequena leva à boca

Diferença entre gripe e resfriado

Gripe e resfriado são infecções distintas, causadas por tipos de vírus bem diferentes: a gripe é causada por um tipo específico de vírus (o influenza), enquanto o resfriado pode ser desencadeado por vários tipos de vírus. Os sintomas iniciais são bem parecidos – nariz entupido e dores no corpo, principalmente -, mas a gripe logo se diferencia: além de produzir dores mais intensas, gera náuseas, febre, congestionamento das vias respiratórias e comprometimento do sistema imunológico, o que pode abrir espaço para problemas mais graves, como a pneumonia.

resfriado, pelo contrário, não costuma ir além de dores leves, tosse, espirros e coriza no nariz. Muitas vezes, inclusive, resfriado é confundido com crise de rinite alérgica. “Ninguém perde uma festa ou um dia de trabalho por causa de um resfriado. Se você tiver que ficar de cama, é gripe!”, diz o pneumologista Clystenes Soares, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Não há um exame que consiga detectar se você está gripado ou resfriado, mas, depois de 24 horas, os sintomas já deixam claro a gravidade do problema. Nos dois casos, repouso é uma ótima dica, tanto para evitar que a infecção fique mais forte, quanto para poupar seus colegas, já que tanto gripequanto resfriado são transmitidos pelo ar e pelo contato.

Diferença entre gripe e doenças respiratórias (rinite e sinusite)

A rinite –inflamação alérgica da mucosa do nariz -, por exemplo, causa espirros repetidos, coriza e coceira no nariz. Não causa, porém, a febre, as dores musculares, os calafrios e a fadiga que são provocados pela gripe e que deixam o paciente de cama.

A sinusite –inflamação dos seios paranasais, que pode ser também de origem alérgica – é mais comumente causada por infecções bacterianas (não virais), e, mesmo quando acompanhada de febre, é mais gradual que a gripe, com sintomas principalmente nasais, dor de cabeça e tosse, não apresentando, portanto, início repentino nem sinais como mialgia e aguda fadiga, típicos da gripe

Diferença entre Bronquiolite e uma Alergia

A bronquite, especialmente se for frequente, pode ser difícil de distinguir de uma alergia, pois os sintomas são idênticos. As alergias tendem a provocar uma secreção de mucosidade relacionada com as mudanças de estação ou com o contacto com o pó, a humidade, etc. A alergia é acompanhada de tosse seca com pieira, espirros muito frequentes e/ou seguidos, irritação dos olhos e lacrimejar abundante. As crianças com alergia não têm febre, rouquidão nem dores musculares. E, contrariamente à constipação, as alergias normalmente duram mais de duas semanas e podem desencadear-se mais bruscamente após a exposição ao elemento que as provoca (pó, pólen, etc.) Uma vez que o tratamento das infecções respiratórias virais e da alergia é diferente, consulte o médico em caso de dúvida.

Bronquiolite ou Bronquite? Qual a diferença?

É extremamente comum a confusão feita entre essas duas doenças! Tudo isso é gerado porque elas têm basicamente sintomas semelhantes e causas diferentes! De uma forma clara a bronquiolite é de causa Viral, ou seja, por contato com o agente viral e comum antes dos dois  primeiros anos de vida ! A  Bronquite é autoimune, igual a Asma, a criança  nasce com propensão à doença e é necessário um fator desencadeante como poeira, fumaça,mudança de temperatura….portanto quem teve bronquiolite pode ter bronquite mas nem todos que tem bronquite tiveram bronquiolite..


Recomendação de leitura-

O que são Infecções Respiratórias, como previnir e como devemos tratá-las
O que são Infecções Respiratórias Agudas (IRA)
Infecções respiratórias: da constipação à pneumonia

INFLUENZA: Sintomas, Cuidados e Prevenção!

Fonte: Medicina Net ABC da SaúdeRevista Crescer GloboSindifarmajpBrasil Medicina

Link permanente para este artigo: http://blog.suri-emu.co.jp/?p=408

1 comentário

  1. karennina pinto

    Por favor gostaria de saber mais sobre produtos para tirar mofo e bactérias se possível fazer uma matéria ficaria muito grata
    Obrigada
    karennina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Translate »