«

»

ago 21 2011

Imprimir Post

Acabei rasgando uma nota de 10 mil ienes. Posso continuar usando normalmente?

10 mil ienes ou 1 mil ienes, não importa o valor, nota rasgada deve ser levada ao banco para ser trocada por uma nota nova.

Caso uma parte da nota venha a se destacar, leve as duas partes para efetivar a troca.
A perda de uma parte da nota incorre em demora para troca, pois a nota em questão passa por uma avaliação do Banco Nacional.

Nota danificada é geralmente recusada em lojas, mesmo que as partes estejam atadas por uma fita colante. Por isso, não perca tempo e vá ao banco fazer a troca.

Mesmo as máquinas automáticas de vendas (jido-hanbaiki) não aceitam tais notas. Notas danificadas por queima poderão também ser trocadas por novas, levando-as ao Banco Nacional para avaliação.

Quanto a notas de moeda estrangeira, como o dólar americano, não se efetivam trocas de notas danificadas por novas, no Japão.

Curiosidades do Japão sobre dinheiro “achado”

Aqui é normal: japoneses devolvem dinheiro achado na beira da estrada artigo do Blog Sushi de Banana de Karina Kovalick

Eu vou contar uma história que, se tivesse acontecido no Brasil, teria sido primeira página de todos os jornais. Aqui, até teve alguma repercussão, mas por motivos diferentes. Ao conhecer a história vocês vão entender.

O incidente aconteceu esta semana na movimentada rodovia Higashi-Meihan, na província de Aichi. Um japonês foi detido pela polícia rodoviária após jogar o equivalente a cinquenta e quatro mil reais da janela do carro que dirigia.

Depois, o homem largou o carro na beira da estrada. Foi encontrado alguns quilômetros adiante, desorientado e confuso.

Que o motorista surtou, a gente já sabe. Afinal, rasgar ou jogar dinheiro fora é a mais conhecida prova de loucura. Esse fato, naturalmente inusitado, é que foi destaque nas reportagens dos jornais japoneses. No Brasil, a manchete seria a última linha da reportagem, que ninguém prestou muita atenção aqui, já que o que veio a seguir é a coisa mais normal do mundo por estes lados.

Vocês conseguem imaginar qual foi a reação dos motoristas que estavam passando por lá ao ver aquele monte de dinheiro espalhado pela estrada??

Pararam os carros, recolheram as notas, ligaram para a polícia e… ENTREGARAM TODO O DINHEIRO!! Mais um detalhe: os policiais levaram tudo, direitinho, para a delegacia.

Algumas pessoas de outros países achariam que os verdadeiros loucos foram os que deram toda aquela grana para os policiais, mas é assim que as coisas funcionam no Japão. Nada de “achado não é roubado”…
Ninguém tenta lucrar miúdo – ou graúdo – às custas de outros. A honestidade e a honra são valores levados a sério e às últimas consequências.

Aqui a palavra vale tanto quanto um contrato e a falcatrua é motivo de enorme vergonha, exclusão social, seguida – muitas vezes – de suicídio!! Aliás, o seppuku – o suicídio honrado – é uma prática popular desde o tempo dos samurais, que preferiam morrer com honra a viver sem ela.

No Japão, existem bandidos, como comentei no post abaixo. Existem políticos corruptos. Mas, aqui, bandido é isso mesmo: bandido. E ninguém vota em político depois que se descobre que ele é desonesto.

Ah! E não existe um culto à malandragem. Malandro não é herói, não ganha fama de esperto, não vira tema de letra de música.

Por essas e outras, sei que posso sair à rua sabendo que vou voltar inteira e com a minha carteira intocada. Não é bom viver num lugar assim??

Leia mais…. assuntos interessantes, curiosidades, cultura do Japão no blog Sushi de Banana de Karina Kovalick

Dinheiro achado em Aichi vai para quem descobriu
Este artigo foi publicado no site do IPC digital

Um total de ¥ 50 milhões encontrado enterrado em um terreno baldio de Owariasahi (Aichi) em março deste ano será entregue à pessoa que o descobriu – no caso um operário de construção de Seto (Aichi), de 43 anos de idade – e uma imobiliária de Saitama, responsável pelo terreno. O prazo para o proprietário reclamar a perda (seis meses e 14 dias) expirou hoje (24).

Segundo a Polícia de Moriyama (Aichi), o operário fazia escavações no terreno por volta das 14h do dia 10 de março, quando encontrou uma mala de plástico contendo os ¥ 50 milhões. Seis pessoas ligaram para pedir informações sobre o dinheiro à polícia, mas nenhuma se apresentou como proprietária.

O terreno onde foi encontrado o dinheiro foi comprado por uma imobiliária de Saitama em 1997, para construir um edifício de apartamentos.

Céu, terra e água  – Encontrar dinheiro perdido no Japão não é tão raro quanto parece. Segundo a Agência Nacional de Polícia, em 2005 o total de dinheiro encontrado como lixo alcançou a cifra de ¥ 13,90 bilhões e em apenas 70% dos casos, os donos reclamaram. Só em Tokyo foram encontrados 2,60 bilhões dos quais 27% foi entregue àqueles que o entregaram à polícia, pois os donos não apareceram.

Em Sumida (Tokyo) uma chuva de dezenas de cédulas de ¥ 10 mil foi registrada no dia 6 de julho. A Polícia Metropolitana recolheu ¥ 76 mil mas alguns bilhetes que foram parar nas árvores ou voaram mais longe acabaram sendo levados pelos pedestres.  Uma das hipóteses é de que o dinheiro teria caído da bagagem de alguma motocicleta que passava pela auto-estrada próxima ao local, sem o dono perceber.

Em março, 269 cédulas de ¥ 10 mil foram “pescadas” no rio Sakai em Machida (Tokyo). Apenas uma pessoa se apresentou como o suposto “dono” do dinheiro, mas era mentira.   Em Hakusan (Ishikawa), um pescador fisgou uma mochila contendo ¥ 8 milhões. Como o dono não apareceu, ele ficou com o dinheiro.

Leia mais sobre noticias, curiosidades e dicas no Japão no site do IPC digital

2,27 bilhões de ienes são devolvidos a seus donos em Fukushima
Artigo postado no Portal Nippon

O terremoto seguido de tsunami do dia 11 de março deste ano, deixou um prejuízo de bilhões de ienes aos moradores da região de Fukushima e devastou grande parte da costa do nordeste japonês, mas uma coisa ficou intacta, que foi a lendária honestidade japonesa.

Após cinco meses desde o acontecido já foram devolvidas milhares de carteiras encontradas nos destroços, contendo dinheiro, cartões e documentos, somando um valor aproximado de 2,37 bilhões de ienes.

Além das carteiras também foram encontrados e devolvidos mais de 5.700 cofres, encontrados pelos voluntários e equipes de busca. No seu interior as autoridades informaram que foram encontrados cerca de ¥2,27 bilhões em dinheiro. Em apenas um dos cofres foram encontrados cerca de 100 milhões de ienes em seu interior.

A Agência Nacional de Policia informou que 96% de todos os bens encontrados já foram devolvidos a seus devidos donos.

Leia mais sobre atualidades, comunidades, notícias do Japão no Portal Nippon

Link permanente para este artigo: http://blog.suri-emu.co.jp/?p=553

1 comentário

  1. Luiz Enrike Mera

    É por esta e outras tantas razoes que adoro viver no Japão. Amo meu pais sim, tanto que divulguei esta matéria entre meus conhecidos, para que possam começar a refletir melhor antes de postarem palavras de apoio á atos de desonestidade como sendo esperteza, dando assim forca aos ladroes e corruptos para continuarem a cometer seus atos impunemente. Muito obrigado pela matéria, e pelo trabalho desta empresa na qual um dia trabalhei e guardo apenas boas lembranças e uma grande gratidão por tudo que fizeram por mim e pela minha esposa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Translate »