«

»

ago 20 2011

Imprimir Post

Saúde: Vacinação contra sarampo e rubéola no Japão. Quais são suas dúvidas?

Devido a grande epidemia de sarampo em 2007, no Japão, a vacinação contra sarampo e rubéola será feita durante 5 anos, também,em todas as crianças em idade correspondente ao primeiro ano do ginásio e terceiro ano do ensino médio, iniciando-se em 1o de abril de 2008.

De 2008 a 2012, a vacinação contra o sarampo e a rubéola (incluindo a vacinação separada contra sarampo e rubéola) deve ser realizada em crianças cursando o ensino fundamental, considerado a partir do mês de abril deste ano até o mês de março do próximo ano. Se uma criança desejar ser vacinadaa pós o período designado, a vacinação não estará sob a Lei de Vacinação Preventiva (vacinação voluntária). Nestes casos, se uma criança for prejudicada pela vacinação, ela será atendida pela indenização de acordo com a legisllação da Agência de Dispositivos Médicos e Farmacêuticos, no entanto, a indenização geralmente é de aproximadamente a metade daquilo que é fornecido pelaLei de Vacinação Preventiva (as despesas médicas, benefícios médicos e as despesas funerárias são semelhantes).

Se o seu filho nasceu no Japão ele já tem a Caderneta BOSHITETYO, onde são realizados os registros desde a gestação, nascimento, exames periódicos e vacinas. Não esquecer de levar no dia da vacinação. Se seu filho não nasceu no Japão, mesmo que ele já tenha tomado vacina no país de origem, deverá levar a Carteira de Saúde na Prefeitura e realizar a solicitação de emissão da Caderneta BOSHITETYO. Quando iniciarem as diversas campanhas de vacinação, a prefeitura ou o Posto de Saúde enviará à sua residência, o Calendário de vacinas, com data e local, bem como Explicação da Vacina (nem todas as prefeituras tem explicativos traduzidos) e também um questionário que deverá ser respondido e levado no dia da vacinação.

Em japonês;

予防接種

Yobousesshu

vacinação

麻疹

hashika

sarampo

三日はしか 風疹

mikka hashika ou fuushin

rubéola

Sintomas da Rubéola

Causas
É causada pelo vírus da rubéola que é disseminado pela saliva. Após a contaminação pelo vírus, o paciente não apresenta sintomas por 14 a 21 dias (período de incubação).

Sintomas
Depois, os sintomas aparecem geralmente, uma erupção menos vermelha que a apresentada no sarampo, febre e inchaço dos linfonodos, principalmente na parte de trás da garganta. Às vezes, sintomas como: tosse, corrimento nasal e olhos vermelhos (congestão conjuntival) são apresentados. Quando uma criança contrai rubéola, tanto a erupção cutânea quanto a febre desaparecem em aproximadamente três dias, por isso também é chamado de “sarampo de três dias”.

Complicações da rubéola
As complicações da rubéola são: dores nas juntas, púrpura trombocitopênica aguda (1 em cada 3000) e encefalite (1 em cada 6000). Normalmente os sintomas são mais graves em adultos do que em crianças.
Quando uma mulher contrai rubéola no estágio inicial da gravidez, é provável que seus bebês nasçam com Síndrome da Rubéola Congênita, que pode incluir má formação cardíaca, catarata, surdez e outras anormalidades.

O que é sarampo?

Doença infecciosa, altamente contagiosa, faz parte do grupo das doenças que se manifestam por alterações marcantes da pele, exantema eritematoso (pele avermelhada, com placas tendendo a se unirem) e com comprometimento de vários órgãos.
O sarampo é causado por um vírus chamado morbili vírus.

Como se transmite ?
Os homens e os macacos são os únicos animais que abrigam naturalmente esse vírus. O sarampo é contagioso e se espalha através da tosse e do espirro. Gotículas da respiração e mesmo o ar com o vírus ainda vivo são responsáveis pela disseminação da doença. O período de contaminação se inicia 3 a 4 dias antes e vai até 4 a 5 dias após o surgimento das lesões da pele (rash cutâneo). O tempo que leva entre a contaminação e o aparecimento dos sintomas (período de incubação) é em média 2 semanas. Após uma incubação de cerca de dez dias, o vírus causa febre alta, semelhante aos sintomas de um resfriado, e provoca o surgimento de bolhas vermelhas na pele.

Quais os sintomas?

♦Os sintomas só se manifestam de 10 a 12 dias (período de incubação) após a contaminação pelo vírus.  ♦ Depois desse período, o paciente começa a apresentar os sintomas como: febre, tosse, corrimento nasal, irritação nos olhos e vermelhidão na pele.  ♦ Nos três a quatro primeiros dias depois do fim do período de incubação, os pacientes apresentam febre de 38ºC, tosse, corrimento nasal, irritação nos olhos. ♦ Inicialmente a febre parece estar diminuindo, mas ela aumenta novamente para 39ºC a 40ºC, e começa a aparecer um vermelhidão no pescoço e na face, que depois se espalha para o corpo todo. ♦ A febre diminui em três a quatro dias e a erupção cutânea desaparece gradativamente.  ♦Pode ser que as regiões afetadas pela erupçao cutânea permaneçam um pouco mais escuras por algum tempo.   ♦  O exame interno da bochecha permite identificar pequenos pontos branco-amarelados (enantema de Koplick) que confirma o diagnóstico.

Como se faz o diagnóstico?
A história do paciente e o exame clínico permitem o diagnóstico na quase totalidade dos casos.  Em situações mais difíceis, a presença de anticorpos (reação do organismo para se defender desse vírus) no sangue é confirmatória da moléstia.

Quais são as manifestações do sarampo?
O sarampo evolui habitualmente em duas fases distintas, um período chamado «prodrómico» em que há sintomas e sinais inespecíficos, como febre, mal estar, congestão e corrimento nasal, conjuntivite, fotofobia (dificuldade em encarar a luz), tosse seca e rouquidão; e um período «exantemático» que se caracteriza pelo aparecimento de um exantema típico (erupção na pele).
♦  O período prodrómico dura um a quatro dias mas pode prolongar-se até sete dias. É nesta fase que aparecem as «manchas de Koplic» (manchas na face interna da boca, junto aos molares), que ajudam o médico no diagnóstico de sarampo nesta fase inicial, já que são características desta doença.
♦  A segunda fase do sarampo caracteriza-se pelo aparecimento de uma erupção típica constituída por manchas e pápulas de cor vermelho acastanhado, que aparece por volta do quarto dia de doença, progredindo durante três dias da cabeça para os pés. Assim, as manchas aparecem inicialmente atrás das orelhas, na face e no pescoço, e depois espalham-se pelo tronco, braços e pernas, não atingindo as palmas das mãos e plantas dos pés.
O exantema desaparece pela mesma ordem em que apareceu, primeiro na face e pescoço, depois no tronco e, finalmente, nos membros.

Como é o tratamento da doença?
Na imensa maioria das vezes o tratamento é voltado para diminuir ou aliviar os sintomas como febre e tosse, ou para combater alguma complicação quando antibióticos sao usados.
Paciente com sarampo deve fazer repouso, ingerir bastante líquido, comer alimentos leves, limpar os olhos com água morna e tomar antitérmicos para baixar a febre. Em alguns casos, há necessidade de tratamento para o aumento de imunidade
Casos muito especiais podem necessitar medicação do tipo gama globulina anti-sarampo, visando o próprio vírus ou o reforço da capacidade de defesa geral.
Somente os sintomas podem ser tratados e é importante que crianças sejam vacinadas duas vezes contra a doença – na idade de um ano e antes de entrar na escola primária.

Prognóstico
O sarampo é certamente a mais grave das chamadas doenças comuns da infância: complicações graves e morte ocorrem em até 3/1000 casos.

Qual é a idade mais habitual de aparecimento do sarampo?
Na sua história natural o sarampo é uma doença que afecta sobretudo as crianças. No entanto, nos países em que se fez a introdução da vacina do sarampo, a doença atinge principalmente adolescentes e adultos jovens não imunizados (que não estão protegidos pela vacina).

Como prevenir o sarampo ?

Uma criança que apresenta manchas na pele, sem febre, pode estar com sarampo?
Não. Há outras doenças que se acompanham de um exantema (manchas ou borbulhas na pele), sendo particularmente frequente em doenças causadas por vírus. No sarampo há sempre um período inicial de febre, que pode ser elevada (40º – 41º) e que se mantém durante cinco a seis dias. Se a criança apenas tem manchas na pele, sem febre, não se trata de sarampo.

O sarampo é uma doença benigna?
Embora o sarampo seja habitualmente uma doença benigna, auto limitada (cura ao fim de alguns dias sem tratamento específico), podem por vezes surgir complicações graves e até mortais.

Quais são as complicações do sarampo?
As complicações do sarampo são raras em crianças bem alimentadas, mas algumas podem ser graves, como é o caso da encefalite (infecção do cérebro) ou a pneumonia (infecção pulmonar) causados pelo vírus do sarampo.
Além destas complicações causadas pelo próprio vírus , o sarampo pode complicar-se por infecções secundárias causada por bactérias (otite,pneumonia, laringite), neste período em que a criança tem as suas defesas diminuídas pela doença. Estas complicações são mais frequentes que as anteriores e atingem mais as crianças subnutridas.
Há uma complicação grave mas muito rara que aparece meses ou anos depois da doença, atingindo o sistema nervoso de forma progressiva e que, em geral, leva à morte. Esta complicação, chamada Panencefalite Esclerosante Subaguda, parece resultar de uma infecção do cérebro causada pelo vírus do sarampo, que se aloja nesse local durante a fase aguda da doença mantendo-se como «adormecido» por um período longo, até ser reactivado por factores que não são ainda conhecidos.

O sarampo é uma doença que pode ser evitada?
Sim. Para evitar o aparecimento de sarampo as crianças devem ser vacinadas.Mais de 95% das crianças que são vacinadas se tornam imunes. Uma criança que foi imunizada está protegida do sarampo e da rubéola. A vacinação pode causar efeitos colaterais leves e muito raramente efeitos colaterais graves

Cuidados para a vacinação
A criança a ser vacinada deve estar com bos condições de saúde. Se o seu filho estiver doente, consulte seu médico e decida se você deve vaciná-lo ou não.
Se seu filho apresentar qualquer um dos seguintes sintomas, ele não poderá ser vacinado:

1) Febre evidente (37,5ºC ou superior)
2)Doença aguda grave.
3) Um histórico de anafilaxia causada por qualquer componente da preparação da vacina.
4) Qualquer doença associada a um sistema imunológico com características anormais evidentes ou tratamento que provoque imunossupressão.
5) Gravidez
6) Outras condições que o médico considerar inadequado

Cuidado para as mulheres
Se você estiver grávida ou com suspeita de gravidez, você não deverá ser vacinada. Recomendamos que você seja vacinada após o parto ou quandofor confirmado que não está grávida.
Quando você for vacinada, consulte o médico que a vacinou, a clínica médica ou a Secretaria Municipal responsável pela vacinação.
Você deve evitar a gravidz por pelo menos dois meses após a vacinação.

A vacina do sarampo dá algum tipo de reação?
A reação da vacina do sarampo surge cerca de duas a três semanas após a administração da vacina e consiste num quadro febril de curta duração, acompanhado de uma ligeira erupção na pele.

Efeitos colaterias que podem ser apresentadas após a vacinação

1) Os principais efeitos colaterais causados pela vacina combinada contra sarampo/rubéola (esta vacina é comumente usada para a vacinação simultânea contra sarampo e rubéola)
Febre (20% dos pacientes) e erupção cutânea (10%). Esses sintomas costumam aparecer de 5 a 14 dias após a vacinação. Nas primeiras 24 horas após a vacinação, a febre, a erupção cutânea e a coceira, que são considerados reações alérgicas, ocorrem ocasionalmente, mas esses sintomas desaparecem no máximo em 3 dias. Alguns pacientes apresentam vermelhidão, inchaço e endurecimento no local da injeção e linfonodos inchados, porém normalmente, esses sintomas desaparecem em poucos dias.
São raros os casos de efeitos colaterais graves, incluindo uma reação anafilática (urticária, dificuldade de respiração e mesmo espasmo), púrpura trombocitopênica aguda (sangramento na peloe, nariz, mucosa oral e outros locais), encefalite e convulsões.

2) Principais efeitos colaterais causados pela vacina contra o sarampo
Os principais efeitos colaterais são: febre baixa ( de 37,5ºC a 38,5ºC, apresentada por 5% dos pacientes), febre alta (acima de 38,5ºC, em 8%) e erupção cutânea semelhante à do sarampo (em 65), apresentada principalmente de 5 a 14 dias após a vacinação. A febre geralmente dura apenas um ou dois dias. A erupção cutânea é raramente mais grave, e pode apresentar vermelhidão, inchaço ou até mesmo parecer sarampo natural. Outros efeitos colaterais são vermelhidão, inchaço no local da injeção e quadros de febre (em 1 entre 300 pessoas), urticária, e outros efeitos colaterais menos comuns, sendo que quase todos são transitórios.
Entre os raros efeitos colaterais graves estão as reações anafiláticas, encefalite/encefalopatia (1 em 1 milhão ou com menos frequência) e púrpura trombocitopênica aguda (1 em 1 milhão).
A panencefalite esclrosante subaguda (PES), causada pela vacinação, é considerada extremamente rara, ocorrendo com uma frequência maior de 1 a cada 10 em pacientes infectados pelo vírus do sarampo natural.

3) Principais efeitos colaterais da vacina contra rubéola
Os principais efeitos colaterais são: erupção cutânea, urticária, eritema, coceira, febre, linfonodos ichados e dor na juntas. Entre os raros efeitos colaterais graves estão: espasmos, reações anafiláticas e púrpura trombocitopênica aguda (em 1 a cada um milhão de pacientes)

Sistema de atendimento às pessoas com reações adversas causadas pela vacinação

Uma pessoa com efeitos colaterais causados pela vacinação de rotina, que necessite de tratamento médico ou teve sua capacidade de executar atividades diárias prejudicada por alguma lesão poderá ser indenizada pelo governo, de acordo com a Legislação da vacinação preventiva (Preventive Vaccination Law)

A indenização consiste no pagmaneto de despesas médicas, benefícios médicos, uma quantia anual para crianças com deficiência, uma anuidade devido a problemas de saúde, benefícios fixos por morte e despesas de funeral que são classificadas pela Lei, de acordo com a gravidade da lesão. A respectiva indenização é paga de acordo com as disposições da Lei. Toda a indenização, exceto os benefícios fixos por morte e despesas de funeral, é paga de forma contínua até a conclusão do tratamento ou melhora da saúde.

Se você acha que deve enviar um formulário para indenização consulte o médico que entrevistou seu filho antes da vacinação, a clínica médica e Secretaria Municipal responsável pela vacinação.

Recomendações

* Não se descuide do programa de vacinação de seus filhos. A vacina contra o sarampo é a melhor forma de evitar a doença que pode ser grave, especialmente se elas estiverem debilitadas;

* Procure saber a causa da doença de crianças que convivem com seus filhos. O sarampo é uma doença altamente contagiosa e de caráter epidêmico;

* Não deixe de procurar atendimento médico se aparecerem manchas avermelhadas na pele de sua criança, mesmo que ela tenha sido vacinada contra o sarampo;

* Investigue se você teve a doença na infância ou tomou a vacina quando criança. Em caso de dúvida é melhor procurar um centro de vacinação.

Fonte: ABC da SaúdePortal Sao Francisco, Explicativo da vacina da pref de Ushiko

***************************************************************************

Muito importante: Na ocasião da vacinação os pais recebem um comunicado e um formulário do Centro de Saúde ou Prefeitura Local, normalmente em japonês.  Se não vier acompanhado de tradução em português, procurar  pessoas que possam ajudar a preencher e ler as explicações da vacina.

Hoje em dia, muitas prefeituras já tem instruções e formulários traduzidos. Informe-se. Em caso de dúvida, mesmo conversando com o médico japonês, poderá ligar para o DISQUE SAÚDE

O Disque Saúde é uma ligação gratuita que dá informações sobre saúde e orientação médica aos brasileiros que moram no Japão, em português. O horário de atendimento é de segunda à sexta das 9 às 17 hs. Sábado, Domingo e feriado atende pela secretária eletrônica.
Para utilizá-la, necessita registrar e ganha uma senha que seria número para ligar. o número é Tel: 080-4083-1096 (SoftBank)

Link permanente para este artigo: http://blog.suri-emu.co.jp/?p=555

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Translate »