«

»

ago 21 2012

Imprimir Post

Espaço Educar: Tirando dúvidas sobre creches no Japão! Brasileiros contam suas experiências…

Sabemos que é muito importante e imprescindível a presença da mãe junto ao bebê, na formação e desenvolvimento motor, psíquico, social, cultural, acompanhando e orientando.

Diferente de outras épocas, as mamães atuais também trabalham fora para ajudar no sustento e manutenção familiar, principalmente no Japão. Com dor no coração, decidimos colocar a criança na creche e sair ao trabalho.

O artigo é sobre  HOIKUEN 【保育園】,  creche japonesa, uma instituição que cuida de crianças que não podem ser cuidadas em casa, porque os pais trabalham fora ou outros motivos. São aceitas crianças de 0 ano até a idade antes de ingressar ao Shogakko (escola primária).

Se você está pensando em colocar sua criança na creche japonesa o ano que vem… MEXA-SE!! Agora é a época para INSCRIÇÂO nas Prefeituras.

Não deixe para o ano que vem, com certeza não terá vagas…. Mesmo fazendo a inscrição ainda não é certeza da vaga, pois dependendo do número de inscritos não tem vagas para todos, ficando na fila de espera. O ano letivo inicia em ABRIL. Cancelamento em casos de desistência, é necessário realizar o procedimento de cancelamento da vaga. Caso contrário, as mensalidades continuarão a ser cobradas.

Como fazer a inscrição para a creche?

Vá até a Prefeitura de sua cidade, levando seus documentos e da criança e procure orientação e informações para inscrição no Setor de Creches.  Procure saber se a sua Prefeitura tem serviço de intérpretes, caso não tenha, peça para um(a) amigo(a) que conheça o idioma japonês para acompanhá-la na orientação. As inscrições dependem de cidade para cidade, algumas são em outubro outras em novembro. Se informe!

Se você não pode esperar até o ano que vem para colocar sua criança na creche, marque uma consulta com a entidade onde deseja matricular seu(sua) filho(a), levando os documentos dos pais e da criança. Se não souber nihongo, vá acompanhado de intérprete. Verifique se há possiblidade de ingressar imediatamente ou não. Normalmente criança acima de 3 anos tem mais facilidade de conseguir vagas.

Como é a creche?

 

♦ A comunicação realizada é apenas em língua japonesa.
♦ Os professores fazem leitura de livros, realizam teatros e programam muitas brincadeiras.
♦ São realizadas atividades anuais como hanabi, gincana esportiva, plantacao de arroz, Natal com a participacao de Papai Noel e excursão com os pais.  As crianças recebem treinamento de prevenção de terremotos, orientações de trânsito, aprendem a andar de bicicleta, tocar instrumentos musicais, etc.
♦ Há reunião de pais duas vezes por ano, mas a creche esta à disposicao dos pais a qualquer momento para tirar duvidas.
♦ A professora escreve um diario em lingua japonesa na classe, para que os pais acompanhem o cotidiano da criança e também possam registrar atividades em casa.
♦ A creche oferece ampla área de lazer, com piscina, playground, animais pequenos como coelhos, além de vários instrumentos musicais.
♦ A maioria das creches solicita inicialmente, um periodo de até dez dias de adaptacao da crianca. Nesse caso, e importante que os pais tenham tempo disponivel para acompanhar essa fase.

Tirando dúvidas sobre a creche

Muitas dúvidas dificultam a escolha do melhor lugar para deixar a criança enquanto trabalha. Creche japonesa? Creche brasileira? Jardim da Infância (Youtien) japonesa ou brasileira? Deixar com familiares, com conhecidos, com babás?

Que tal se orientar atraves deste pequeno questionário?

(1) Pretende ficar quanto tempo no Japão?

(2) Pretende trabalhar em horário integral ou parcial?

(3) Tem creches ou escolas perto de casa ou depende de transporte escolar?

(4) Quanto pretender ou pode pagar pelos cuidados da creche, escola ou particular?

(5)  Quem pode matricular filhos na creche japonesa?

♦Pais que trabalham e não podem cuidar dos filhos durante o dia.

♦ Mãe grávida ou no período logo após o parto ( o prazo para frequentar o Hoikuen é limitado).

♦ Familiares doentes em casa, impossibilitando cuidar da criança em casa.

(6) Quais os itens para serem analisados para procurar uma creche ou youtien:

 

Faixa etária:
(1) Dependendo da creche, o atendimento inicia aos 6 meses. Algumas creches aceitam somente após um período determinado, por exemplo, quando já começa a andar, por isso, é importante se informar. levando em conta que quanto mais novo é o bebê, menos vagas terão na creche, pois requerem mais professores por sala de aula.
(2) Youtien: somente após completar 3 anos de idade.

 

Localização:
(1) Procure saber quais são as creches mais próximas de sua residência.
(2) Faça o percurso a pé, levando em condição os passos da criança. Cronometre o tempo em dias normais e também em dias de chuva ou neve.
(3) Se você vai de bicicleta ao serviço, cronometre o tempo que levará até a creche e daí para o local de trabalho, assim terá idéia de que horas deverá sair de casa.
(4) Se você vai de carro, também cronometre o tempo, considerando o congestionamento do horário, local de estacionamento para deixar a criança.
(5) Youtien (Jardim da Infância) – A grande maioria disponibiliza ônibus escolar.

Horário de Funcionamento:

(1) Conheça o horário que inicia o funcionamento da creche, para não coincidir com o horário do trabalho, em especial, com o horário do souguei, ou do tempo calculado para chegar ao trabalho.
(2) Conheça o horário de término do funcionamento da creche. Se for até 17 horas, seu trabalho deverá encerrar antes, para dar tempo de buscar o(a) seu(sua) filho(a).
(3) Procure saber se a creche tem ENTYO, ou seja, prorrogação do horáro de atendimento. Algumas creches atendem até 18:00hs outras até 19:00hs. Se tem interesse na prorrogação, deverá fazer a solicitação e também será acrescentado um valor extra na mensalidade.
(4) Informe-se sobre atendimento aos sábados, se é em horário parcial ou integral, ou se não tem atendimento.Obs: Nos feriados do Hoikuen as crianças devem ficar sob a reponsabilidade dos pais
(5) Youtien – normalmente funcionam das 9 horas até 14:00 ou 15:00hs. Normalmente as mamães não trabalham, ou trabalham em casa, ou fazem serviços part time (meio expediente de 5 horas). Normalmente não funciona de sábado. E no mês de agosto, tem férias de verão prolongado, diferente da creche que pára por uma semana apenas.

Mensalidade
(1) A mensalidade é calculada com base no valor do imposto de renda, imposto municipal da provincia e imposto sobre bens imobiliarios referente ao ano anterior dos pais da crianca. Em alguns casos, quando o avo ou a avo moram com o neto, por exemplo, o valor e computado. A tarifa também e definida de acordo com a idade da crianca e ha diferencas dependendo da regiao. Em media, a mensalidade varia de 3,1 mil a 59,4 mil ienes para criancas abaixo de 3 anos. Ja para criancas acima de 3 anos de idade, o valor varia de 2,1 mil a 22,6 mil ienes, só para ter uma idéia.
(2) Valores extras à mensalidade: Procure se informar quais valores extras são cobrados à parte como extensão do horário de atendimento, atendimento aos sábados,
(3) Pais que tenham mais de um filho na mesma creche, poderão receber desconto na mensalidade a partir do segundo filho, informar-se na prefeitura.
(4) Youtien: os valores são fixos, independente da renda familiar.

 

Dificuldade de compreensão do idioma japonês
(1) Não se preocupe, na creche a criança aprenderá a falar japonês. Em algumas creches já estão sendo contratadas estrangeiros para assistência às crianças.
(2) Pais que não entendem japonês: aprendam!! E com certeza, muita coisa vocês irão aprender. Algumas prefeituras já disponibilizam materiais para creches com tradução, facilitando a comunicação com os pais. Conte com o apoio das outras mamães brasileiras que tem crianças na mesma creche. Isto é importante.

Uniforme

(1) As creches de um modo geral, não adotam uniformes, e sim avental(jaqueta), chapéu, bolsa (mochila). O uniforme de ginástica é o único ítem obrigatório (normalmente uma camiseta e um shorts). Na creche deverá ser providenciado um colchonete, travesseiro para criança dormir depois do almoço, todo final de semana, levar para casa e lavar e/ou estender no sol.
(2) Youtien: cada youtien tem um uniforme padrão (verificar o custo, lembrando que a criança cresce rápido, e cada ano necessitará de um uniforme novo), além do uniforme de ginástica, chapeu, mochila.

Programação

Tanto a creche como o youtien no Japão, tem programação de atividades o ano todo, de acordo com a faixa etária, com a estação do ano, festividades, atividades, musicais, culturais, passeios. A diferença é que no youtien existe uma prioridade para a alfabetização.

 

 

Vantagens e Desvantagens da Creche Japonesa

Eu poderia deixar meu depoimento, pois meus filhos frequentaram as creches japonesas desde um ano de idade e tenho muitas lembranças agradáveis e felizes para contar, mas hoje, abriremos este espaço para as mamães que deixaram no Facebook o registro desta experiência aqui no Japão, e espero que possam ajudar um pouco àquelas que estão indecisas ainda. Obrigada a todos que participaram com seus depoimentos !

Patricia Midori Kanashiro Ribeiro
“Acho que nao tenho nenhum ponto negativo, muito pelo contrário só me traz alegria! Minha filha tem apenas 1 ano de hoikuen e está adorando!!!  Aprendeu muita coisa e já fala e entende muito o nihongo. Espero que jamais ela perca essa educação que está adquirindo!”
Júlio Akio Hida
“O meu filho estudou em creche japonesa dos 8 meses até os 6 anos e hj já está no primeiro ano do primário. Não tenho do que reclamar de nada, hj ele fala fluente duas linguas, já que em casa só se fala em português, outra coisa que é fundamental nesse sistema japonês é a participação dos pais, pois a creche e a escola cobram muito esta parte e eu acho bacana poder acompanhar  o dia dia do meu filho na escola… Abs!”
Gabi Yumi
“Tenho 2 filhos que estudam em escola japonesa. Optei pelo fato de não poder pagar mais pela escola brasileira (já deixei em 2). Atualmente na japonesa, eles aprendem cada dia que passa coisas novas e se tornam mais independentes. Mas no meu caso, penso em ir embora e como será????
Hoje eles não podem decidir por eles, mais pra frente, os costumes serão totalmente diferentes… Espero que eu não tenha feito a escolha errada, mas na área de aprendizagem é bem melhor que a escola brasileira no Japão. Concordo com o Julio, isso é também função dos pais, participar mais da vida dos filhos na escola. E em casa, usar sempre a língua principal, o português.”
Talita Kataoka Kuroishi
“Tenho minha filha há 2 anos que ama ir ao hoikuen. Ela tem 3 anos e ajuda a fazer um monte de coisa, está falando muito bem o nihongo e eu ensino o português.  
As senseis(professoras)  são uns amores, não trocaria a escola japonesa pela brasileira porque já deixei ela numa escola brasileira e olha sem comentários, agora sooooooooo em último caso de extrema necessidade. O lado ruim ainda não vi rrsrsr gomem “
Princess Color Lens
” Ola!! Sou peruana casada com brasileiro e tenho 2 filhos de 10 e 8 anos,  eles passaram pela creche japonesa, eu gostei muito porque eles aprenderam a serem independentes, a fazer as coisas sozinhos , aprenderam a compartilhar com os amiguinhos japoneses, acostumaran com a comida japonesa..e aprenderam o idioma japones.. isso nos pontos positivos…
Ponto negativo:   no começo tiveram dificuldades com o idioma que foi um pouco complicado eles acompanharem, mas pouco a pouco eles foram aprendendo, e nós como pais também.
Em casa nos falamos com eles só em português e espanhol,  eles agora falam 3 linguas, o japonês em primeira ordem, português e espanhol. Nesse tempo que eles entraram na creche, meu marido e eu decidimos estudar japonês para poder acompanhar a vida de escola de nossos filhos.
Na escola com eles falamos em japonês e em casa ou com os amigos em portugues e espanhol , nossos filhos observam que nós falamos 3 linguas e eles querem também saber as 3 linguas e se esforçam para aprender cada dia mais.
Eu ensino eles e ajudo com a gramática e a leitura, para mim a creche japonesa foi boa alternativa pois não pretendemos voltar  tão cedo para o Brasil, porém não queremos que nossos filhos fiquem distantes de nós por causa do idioma….
Acho que a educação de nossos filhos deve ser programada desde cedo, conforme  nossos planos da vida, Mas nós não sabemos  o  que o futuro tem nos reservado,  por isso que preparamos nossos filhos para qualquer situação. Estamos cada dia aprendendo mais com eles e eles conosco!!!! “
Claudia Yoscimoto
Qdo morei aí, o jornal Tudo Bem chegou a elaborar uma matéria sobre este assunto, onde dei um pequeno depoimento
“Logo qdo cheguei ao Jp, por trabalhar praticamente o dia todo, optei em colocá-lo de manhã em uma creche brasileira e à tde em uma japonesa. Mas não gostei nem de uma, nem de outra.
Além de ficar mto caro, soube, um tempo depois – pelos próprios pais de uma criança que também ficava na creche brasileira -, que a filha tinha (pasme!) apanhado de outras crianças, chegando a ficar com olho roxo. Gerou até um B.O. na delegacia na época e a creche fechou (mas, graças a Deus, tirei meu filho de lá bem antes disso).
Tb não gostei da creche japonesa… Uma vez veio um aviso que ele tinha caído do berço (ele tinha 10 meses). Numa outra oportunidade, em pleno verão, a mamadeira dele veio com leite todo azedo. Achei relaxo e falta de consideração. Qdo ele ficou doente, um mês e meio depois, com febrão de 42º, simplesmente parei de trabalhar e fiquei em casa cuidando dele, até poder voltar qdo ele estivesse maiorzinho. Isso tudo foi em Kosai (Shizuoka).
Depois mudei para Konan (Aichi), onde o matriculei na creche japonesa próxima ao danchi onde morávamos. Ele tinha três anos e adorei o sistema! As senseis eram super boazinhas e muito pacienciosas, pois entendíamos pouco nihongo e só falávamos algumas frases e palavras. Ele, mesmo tendo ficado só 6 meses lá (pq tivemos que voltar logo em seguida), já estava chegando em casa falando algumas frases em nihongo e estava bem independente (vestia o calçado sozinho, pq na creche a gente é proibida de tirar e calçar os sapatos deles) e estava começando a aprender a se limpar sozinho no banheiro também, além de ajudar fazendo osouji nas coisinhas dele da escola e, portanto, aprendendo a ficar organizado. Enfim, estava virando um japonesinho rs.
No retorno, tivemos alguns problemas de adaptação na escola do Brasil e mesmo em família, pq as crianças aqui são mais soltas e a educação é diferente, então ele voltou estranhando muita coisa e era bem tímido no começo. Mas agora, depois de pouco mais de 2 anos, já está plenamente readaptado.
Prefiro a creche japonesa municipal, porque além de ser mais barata, ensinará seu filho a falar, escrever e ler o idioma; a interagir mais com as crianças japonesas e com a cultura do país que a família está vivendo; ensinará seu filho a ser mais independente, organizado, disciplinado, ter espírito de coletividade e uma alimentação balanceada.
Fora que a estrutura dessas creches (pessoal preparado e espaço físico para a realização de gincanas, recreação e demais atividades) é bem melhor do que nas creches brasileiras, já que muitas destas deixam as crianças muito tempo sem fazer nada e praticamente trancafiadas em pequenos cômodos, sem atenção suficiente ou atendimento de equipe especializada. Obs.: Não estou generalizando, mas falando com base na minha experiência; do que conheci nas regiões onde estava.
Dos pontos negativos das creches japonesas, é que os pais precisam realmente se identificar com o sistema aplicado e com o pessoal que vai ficar com seu filho, porque se não tiverem uma boa impressão e um bom feeling sobre o lugar, melhor procurar outra. É bom pegar opinião de outros pais brasileiros que têm filhos estudando no local e reparar se não existe discriminação ou bullying.
Acho que é isso.
Ouro Arte – Meu nome é Claudia. Positivo:  a crianca aprende a comer de tudo, a ter horário pra tudo, e compartilhar os brinquedos, a educação que recebem é muito boa…
Negativo, pra mim só teve um ponto que não gostei muito: mesmo que a criança esteja se recuperando de uma gripe, ou estiver resfriada com o nariz escorrendo, eles não deixam agasalhar muito e ainda não deixam ficar de meinha, tadinhos dos pequeninos….

 

Meus conselhos para quem tem filhos nas creches japonesas:

(1) Acompanhe o aprendizado do idioma japonês junto com as crianças. Mostre seu interesse e seu esforço em aprender, assim a criança se sentirá fortificada a empenhar-se para uma adaptação mais rápida ao novo ambiente e novos companheiros.

(2) Acompanhe as atividades da creche, os eventos, participe junto. É muito importante para a criança sua presença e seu interesse em compartilhar estes momentos.

(3) Observe sempre alterações de humor, ânimo, machucados frequentes, e sempre converse com a professora, que estará mais horas do dia junto com a criança e poderá ajudá-la em muita coisa.

(4) Nunca jogue fora os avisos e comunicados da creche, se não souber ler, peça para alguém traduzir em poucas linhas ou palavras o conteúdo principal.

(5) Devido às mudanças do local de trabalho, meu filho em 6 anos, frequentou 5 creches diferentes. Apesar da minha preocupação com a adaptação ele não teve grandes problemas, se inteirando rapidamente ao novo ambiente, graças ao empenho e esforço das professoras e funcionárias da creche. Mas não é uma situação ideal, pois acumula stress para a criança e para os pais. Na medida do possível, procurar não mudar muito de creche seria o recomendável. E se for necessário, converse bastante com a criança para evitar o stress da mudança!

Não pretendemos com este artigo, dizer que a creche japonesa é melhor que a creche brasileira no Japão. As opiniões são diversas. Nas Instituições e creches brasileiras no Japão, temos muito boas escolas e muito bons profissionais na área também. O objetivo deste artigo é falar um pouco mais sobre a opção de estudar também em creches japonesas e levar algumas informações que muitas mamães desconhecem sobre o assunto.

O plano educacional de seu filho é muito importante. Pai e mãe devem pensar juntos em todos os prós e contra e decidirem o que é melhor! Se vocês tiverem mais dúvidas, podem estar nos consultando que estaremos pesquisando para todos onde poderão encontrar as respostas…

*****

Recomendamos visitar o site da Revista Educando, um grande aliado aos pais que se preocupam com a educação e formação dos filhos no Japão.

 

 

Os benefícios da educação bilíngue – O ensino bilíngue é um tema que vem sendo bastante estudado por educadores e psicólogos no mundo. Uma pesquisa divulgada este ano pela Universidade de Granada, na Espanha, mostrou que o bilinguismo ajuda a melhor a memória e a atenção da criança. Veja nesta matéria o exemplo da Ada Merritt, na Flórida (EUA), a primeira e única escola pública americana bilíngue que se tem notícia e onde há muitos brasileiros estudando. Leia mais..

 

 

Mãe influencia filhos nos estudos Muitas pessoas se espelham em outras para conseguir realizar seus sonhos. Os casos daquelas que programaram uma viagem cheia de aventuras e dificuldades ou iniciaram um novo empreendimento, por exemplo, podem gerar nas demais pessoas o desejo de repetirem o mesmo feito. Mas isso também pode ocorrer com quem vence todas as dificuldades para voltar a estudar. Foi o que provocou a atitude de Cristina Haruko Yoshiy Olivares, 45, entre seus familiares. Leia mais….

 

 

Crianças estudam português – O aprendizado da língua portuguesa pelos jovens brasileiros que estudam em escolas japonesas tem sido uma das maiores preocupações dos pais. Tanto é que aumentou a procura pelas aulas do Projeto de Alfabetização da (new) SAB – Associação Amigos do Brasil, de Minokamo (Gifu). Nos meses de janeiro a abril do ano passado foram atendidas 30 crianças em duas classes.  No mesmo período, o número de crianças assistidas saltou para 42, distribuídas em seis classes. O aumento foi de quase 29%. Leia mais…

 

 

Ex-aluno faz palestra em escola A escola primária Kobi, de Minokamo (Gifu), encontrou uma forma prática de incentivar os pais estrangeiros a enfrentarem as dificuldades do cotidiano escolar vividas pelos próprios filhos. Programou a palestra “Coisas importantes para criar os filhos no Japão” com o ex-estudante Marcelo Watanabe e sua mãe Emília, que vivenciaram muitos dos problemas que outros pais e seus filhos enfrentam hoje. Leia mais…

Acesse Revista Educando: http://www.revistaeducando.jp/

 

 

Referência: Artigo do IPC digital : Pais elogiam trabalho das creches japonesas

 

Leia também > Saiba mais sobre procedimentos para matricula em escola japonesa

Link permanente para este artigo: http://blog.suri-emu.co.jp/?p=7473

2 comentários

  1. Giulliana

    Acho muito importante qualquer tipo de ajuda para os pais aqui no Japão.
    Eu sou mãe de primeira viagem, minha filha esta com 8 meses e logo pretendo coloca-la em creche japonesa, e muito me acalma poder ler sobre o que levar em consideração e como proceder na procura de uma boa creche para ela.
    Enfim, obrigada pelo texto claro e informativo!
    Tenho certeza que outras mamães de primeira viagem se sentirão mais confortaveis com esse assunto que tanto nos deixa preocupadas!!

    1. Giulliana, muito obrigada pelo seu depoimento. A experiência de todos, ajudou a escrever este artigo. Ficamos satisfeitos que possa ajudar a muitas pessoas aqui no Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Translate »